Quem conhece a Deus guarda os seus mandamentos

Série: “A Bíblia e a Maldição Hereditária”.

A Libertação Cristã Tem Fases? – Parte 5.

Texto: Sergio de Souza.

Não existe uma situação ideal num cristão (aquele que é nascido de novo). Não se pode esquecer que, mesmo optando por obedecer e buscar a santificação, mesmo sendo salvos pela Graça, mediante a fé, continuamos pecadores, embora não mais debaixo da condenação, nem do domínio do pecado (em processo de santificação).

Quando nós fracassamos, quando caímos, vacilamos, “pisamos na bola”, nosso nome não é apagado do Livro da Vida (não existe “branquinho”, nem delete, nem shift+delete no Livro da Vida). Este fato não nos libera para pecar, não é uma licença para pecar, exatamente porque aquele que é nascido de Deus não tem prazer em viver no pecado.

2 Timóteo 2:11-13

11 Fiel é esta palavra: Se já morremos com ele, também viveremos com ele;

12 se perseveramos, também com ele reinaremos; se o negamos, ele, por sua vez, nos negará;

13 se somos infiéis, ele permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar-se a si mesmo.

 

1 João 2:1-3

1 Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo;

2 e ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro.

3 Ora, sabemos que o temos conhecido por isto: se guardamos os seus mandamentos.

1 Jo 4:16-19

16 E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele.

17 Nisto é em nós aperfeiçoado o amor, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos confiança; pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo.

18 No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor.

19 Nós amamos porque ele nos amou primeiro.

Só tem um jeito de quebrar a verdadeira maldição hereditária, aquela que passou a existir, hereditariamente, sobre todos os seres humanos a partir da queda do homem (Gênesis 3): entregar-se a Cristo. Toda prisão é desfeita, toda a maldição é quebrada. Não precisa de rituais pagãos de quebra de maldição. Depois disso, com toda a maldição quebrada, buscar a santificação (Romanos 6), não para ser salvo, mas porque é salvo.

  • Se a libertação cristã é definitiva e completa, então nenhum cristão precisa de cultos, ou rituais, de libertação;
  • Quem precisa de cultos, ou rituais, de libertação, não é cristão;
  • Se a mensagem do Evangelho não for anunciada, cultos de libertação, que quebram maldições hereditárias, macumbas, feitiços, mau-olhado, inveja, etc., são prejudiciais. Estão fazendo o serviço do Diabo, pois estão desviando a pessoa da verdadeira libertação;
  • Em resumo: cultos de libertação são enganos para encher artificialmente as igrejas e conseguir fechar o caixa do mês.

 

Cuidado com as igrejas que, enganosamente, usam artifícios para forçar conversões. Quem já é salvo não precisa recitar o “termo de conversão”. Eles fazem todos os presentes recitar este “termo” e, depois, perguntam se alguém o fez pela primeira vez e, então, o constrangem a vir ao “altar” para receber Jesus. Pronto! (Oh! que belos hinos, cantam lá nos céus…). Cadê a conversão? A conversão deve ser espontânea, o cristão tem que ser lavado no sangue de Jesus e, finalmente,  tem que saber o porquê da conversão, o motivo pelo qual precisava ser salvo.

 

Continua…

Créditos:

A libertação cristã é total ou parcial? – Gondim. R.

Bíblia Glow

.

X

Deixe um comentário


CAPTCHA Image
Play CAPTCHA Audio
Reload Image