Quando começa o Novo Testamento?

Série: “Leia a Bíblia, Ouça a Bíblia, Siga a Bíblia!”.

.

Texto: Sergio de Souza.

.

.

A condição normal de um testamento é que ele produza efeitos somente após a morte do testador, portanto, o marco divisor entre o tempo do Antigo Testamento e o do Novo Testamento é a morte do testador, do Messias. Vamos analisar isto à luz de textos bíblicos.

  • O Novo Pacto, a Nova Aliança, ou o Novo Testamento foram prometidos a Israel

31 “Estão chegando os dias”, declara o Senhor, “quando farei uma nova aliança com a comunidade de Israel e com a comunidade de Judá.
32 Não será como a aliança que fiz com os seus antepassados quando os tomei pela mão para tirá-los do Egito; porque quebraram a minha aliança, apesar de eu ser o Senhor deles”, diz o Senhor.
33 “Esta é a aliança que farei com a comunidade de Israel depois daqueles dias”, declara o Senhor: “Porei a minha lei no íntimo deles e a escreverei nos seus corações. Serei o Deus deles, e eles serão o meu povo.
34 Ninguém mais ensinará ao seu próximo nem ao seu irmão, dizendo: ‘Conheça ao Senhor’, porque todos eles me conhecerão, desde o menor até o maior”, diz o Senhor. “Porque eu lhes perdoarei a maldade e não me lembrarei mais dos seus pecados.”
35 Assim diz o Senhor, aquele que designou o sol para brilhar de dia, que decretou que a lua e as estrelas brilhem de noite, que agita o mar para que as suas ondas rujam; o seu nome é o Senhor dos Exércitos:
36 “Somente se esses decretos desaparecerem de diante de mim”, declara o Senhor, “deixarão os descendentes de Israel de ser uma nação diante de mim para sempre”.
37 Assim diz o Senhor: “Se os céus em cima puderem ser medidos, e os alicerces da terra embaixo puderem ser sondados, então eu rejeitarei os descendentes de Israel, por tudo o que eles têm feito”, diz o Senhor.
38 “Estão chegando os dias”, declara o Senhor, “em que esta cidade será reconstruída para o Senhor, desde a torre de Hananeel até a porta da Esquina.
39 A corda de medir será estendida diretamente até a colina de Garebe, indo na direção de Goa.
40 Todo o vale, onde cadáveres e cinzas são jogados, e todos os terraços que dão para o vale do Cedrom a leste, até a esquina da porta dos Cavalos, serão consagrados ao Senhor. A cidade nunca mais será arrasada ou destruída.”

  • O Espírito Santo, autor da Bíblia afirma, através de texto escrito por Paulo, que Jesus Cristo nasceu debaixo da Lei para resgatar os que estavam debaixo da Lei. Fica claro que a Lei estava em vigor quando Ele se encarnou, quando Ele nasceu.

Gálatas 4:4-5

4 Mas, quando chegou a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido debaixo da Lei,
5 a fim de redimir os que estavam sob a Lei, para que recebêssemos a adoção de filhos.

  • Jesus o Cristo, o Messias, afirmou categoricamente que veio cumprir a Lei.

Mateus 5:17

17 “Não pensem que vim abolir a Lei ou os Profetas; não vim abolir, mas cumprir.

  • Jesus, ao instituir a Ceia como memorial do Novo Pacto, da Nova Aliança, afirmou: “este é o sangue da aliança”.

Mateus 26:26-28

26 Enquanto comiam, Jesus tomou o pão, deu graças, partiu-o, e o deu aos seus discípulos, dizendo: “Tomem e comam; isto é o meu corpo”.
27 Em seguida tomou o cálice, deu graças e o ofereceu aos discípulos, dizendo: “Bebam dele todos vocês.
28 Isto é o meu sangue da aliança, que é derramado em favor de muitos, para perdão de pecados.

Marcos 14:22-26

22 Enquanto comiam, Jesus tomou o pão, deu graças, partiu-o, e o deu aos discípulos, dizendo: “Tomem; isto é o meu corpo”.
23 Em seguida tomou o cálice, deu graças, ofereceu-o aos discípulos, e todos beberam.
24 E lhes disse: “Isto é o meu sangue da aliança, que é derramado em favor de muitos.
25 Eu lhes afirmo que não beberei outra vez do fruto da videira, até aquele dia em que beberei o vinho novo no Reino de Deus”.
26 Depois de terem cantado um hino, saíram para o monte das Oliveiras.

  • Em outros escritos, sobre o mesmo memorial, a afirmação de Jesus Cristo é “esta é a Nova Aliança no meu sangue”.

Lucas 22:15-23

15 E lhes disse: “Desejei ansiosamente comer esta Páscoa com vocês antes de sofrer.
16 Pois eu lhes digo: Não comerei dela novamente até que se cumpra no Reino de Deus”.
17 Recebendo um cálice, ele deu graças e disse: “Tomem isto e partilhem uns com os outros.
18 Pois eu lhes digo que não beberei outra vez do fruto da videira até que venha o Reino de Deus”.
19 Tomando o pão, deu graças, partiu-o e o deu aos discípulos, dizendo: “Isto é o meu corpo dado em favor de vocês; façam isto em memória de mim”.
20 Da mesma forma, depois da ceia, tomou o cálice, dizendo: “Este cálice é a nova aliança no meu sangue, derramado em favor de vocês.
21 “Mas eis que a mão daquele que vai me trair está com a minha sobre a mesa.
22 O Filho do homem vai, como foi determinado; mas ai daquele que o trair!”
23 Eles começaram a perguntar entre si qual deles iria fazer aquilo.

1 Coríntios 11:23-32

23 Pois recebi do Senhor o que também lhes entreguei: Que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão
24 e, tendo dado graças, partiu-o e disse: “Isto é o meu corpo, que é dado em favor de vocês; façam isto em memória de mim”.
25 Da mesma forma, depois da ceia ele tomou o cálice e disse: “Este cálice é a nova aliança no meu sangue; façam isso sempre que o beberem, em memória de mim”.
26 Porque, sempre que comerem deste pão e beberem deste cálice, vocês anunciam a morte do Senhor até que ele venha.
27 Portanto, todo aquele que comer o pão ou beber o cálice do Senhor indignamente será culpado de pecar contra o corpo e o sangue do Senhor.
28 Examine-se cada um a si mesmo, e então coma do pão e beba do cálice.
29 Pois quem come e bebe sem discernir o corpo do Senhor, come e bebe para sua própria condenação.
30 Por isso há entre vocês muitos fracos e doentes, e vários já dormiram.
31 Mas, se nós tivéssemos o cuidado de examinar a nós mesmos, não receberíamos juízo.
32 Quando, porém, somos julgados pelo Senhor, estamos sendo disciplinados para que não sejamos condenados com o mundo.

  • O Espírito Santo, autor da Bíblia, afirma, através de texto ditado por Paulo e escrito por Tércio, que “o fim da Lei é Cristo, para a justificação de todo o que crê“.

Romanos 10:4

4 Porque o fim da Lei é Cristo, para a justificação de todo o que crê.

  • O Espírito Santo, autor da Bíblia, afirma, através dos escritos do escritor da carta aos Hebreus que Jesus Cristo foi feito fiador de melhor pacto, porque tem o seu sacerdócio perpétuo e se ofereceu a Si mesmo, uma vez por todas.

Hebreus 7:11-28

11 Se fosse possível alcançar a perfeição por meio do sacerdócio levítico (visto que em sua vigência o povo recebeu a Lei), por que haveria ainda necessidade de se levantar outro sacerdote, segundo a ordem de
Melquisedeque e não de Arão?
12 Certo é que, quando há mudança de sacerdócio, é necessário que haja mudança de lei.
13 Ora, aquele de quem se dizem estas coisas pertencia a outra tribo, da qual ninguém jamais havia servido diante do altar,
14 pois é bem conhecido que o nosso Senhor descende de Judá, tribo da qual Moisés nada fala quanto a sacerdócio.
15 O que acabamos de dizer fica ainda mais claro quando aparece outro sacerdote semelhante a Melquisedeque,
16 alguém que se tornou sacerdote, não por regras relativas à linhagem, mas segundo o poder de uma vida indestrutível.
17 Porquanto sobre ele é afirmado: “Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque”.
18 A ordenança anterior é revogada, porque era fraca e inútil
19 (pois a Lei não havia aperfeiçoado coisa alguma), sendo introduzida uma esperança superior, pela qual nos aproximamos de Deus.
20 E isso não aconteceu sem juramento! Outros se tornaram sacerdotes sem qualquer juramento,
21 mas ele se tornou sacerdote com juramento, quando Deus lhe disse: “O Senhor jurou e não se arrependerá: ‘Tu és sacerdote para sempre’ ”.
22 Jesus tornou-se, por isso mesmo, a garantia de uma aliança superior.
23 Ora, daqueles sacerdotes tem havido muitos, porque a morte os impede de continuar em seu ofício;
24 mas, visto que vive para sempre, Jesus tem um sacerdócio permanente.
25 Portanto, ele é capaz de salvar definitivamente aqueles que, por meio dele, aproximam-se de Deus, pois vive sempre para interceder por eles.
26 É de um sumo sacerdote como este que precisávamos: santo, inculpável, puro, separado dos pecadores, exaltado acima dos céus.
27 Ao contrário dos outros sumos sacerdotes, ele não tem necessidade de oferecer sacrifícios dia após dia, primeiro por seus próprios pecados e, depois, pelos pecados do povo. E ele o fez uma vez por todas quando a si mesmo se ofereceu.
28 Pois a Lei constitui sumos sacerdotes a homens que têm fraquezas; mas o juramento, que veio depois da Lei, constitui o Filho perfeito para sempre.

  • No mesmo livro há a afirmação de que Jesus foi feito mediador de melhor pacto, alcançou um ministério tanto mais excelente, porque firmado sobre melhores promessas.

Hebreus 8:1-13

1 O mais importante do que estamos tratando é que temos um sumo sacerdote como esse, o qual se assentou à direita do trono da Majestade nos céus
2 e serve no santuário, no verdadeiro tabernáculo que o Senhor erigiu, e não o homem.
3 Todo sumo sacerdote é constituído para apresentar ofertas e sacrifícios, e por isso era necessário que também este tivesse algo a oferecer.
4 Se ele estivesse na terra, nem seria sumo sacerdote, visto que já existem aqueles que apresentam as ofertas prescritas pela Lei.
5 Eles servem num santuário que é cópia e sombra daquele que está nos céus, já que Moisés foi avisado quando estava para construir o tabernáculo: “Tenha o cuidado de fazer tudo segundo o modelo que lhe foi mostrado no monte”.
6 Agora, porém, o ministério que Jesus recebeu é superior ao deles, assim como também a aliança da qual ele é mediador é superior à antiga, sendo baseada em promessas superiores.
7 Pois, se aquela primeira aliança fosse perfeita, não seria necessário procurar lugar para outra.
8 Deus, porém, achou o povo em falta e disse: “Estão chegando os dias, declara o Senhor, quando farei uma nova aliança com a comunidade de Israel e com a comunidade de Judá.
9 Não será como a aliança que fiz com os seus antepassados, quando os tomei pela mão para tirá-los do Egito; visto que eles não permaneceram fiéis à minha aliança, eu me afastei deles”, diz o Senhor.
10 “Esta é a aliança que farei com a comunidade de Israel depois daqueles dias”, declara o Senhor. “Porei minhas leis em sua mente e as escreverei em seu coração. Serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.
11 Ninguém mais ensinará o seu próximo, nem o seu irmão, dizendo: ‘Conheça o Senhor’, porque todos eles me conhecerão, desde o menor até o maior.
12 Porque eu lhes perdoarei a maldade e não me lembrarei mais dos seus pecados”.
13 Chamando “nova” esta aliança, ele tornou antiquada a primeira; e o que se torna antiquado e envelhecido está a ponto de desaparecer.

  • Ainda em Hebreus está a afirmação de que com a morte de Jesus Cristo inicia-se o Novo Pacto ou a Nova Aliança ou o Novo Testamento.

Hebreus 9:11-17

11 Quando Cristo veio como sumo sacerdote dos benefícios agora presentes, ele adentrou o maior e mais perfeito tabernáculo, não feito pelo homem, isto é, não pertencente a esta criação.
12 Não por meio de sangue de bodes e novilhos, mas pelo seu próprio sangue, ele entrou no Santo dos Santos, de uma vez por todas, e obteve eterna redenção.
13 Ora, se o sangue de bodes e touros e as cinzas de uma novilha espalhadas sobre os que estão cerimonialmente impuros os santificam, de forma que se tornam exteriormente puros,
14 quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu de forma imaculada a Deus, purificará a nossa consciência de atos que levam à morte, para que sirvamos ao Deus vivo!
15 Por essa razão, Cristo é o mediador de uma nova aliança para que os que são chamados recebam a promessa da herança eterna, visto que ele morreu como resgate pelas transgressões cometidas sob a primeira aliança.
16 No caso de um testamento, é necessário que se comprove a morte daquele que o fez;
17 pois um testamento só é validado no caso de morte, uma vez que nunca vigora enquanto está vivo quem o fez.

É necessário atentar para o fato que os Evangelhos foram registrados no tempo do Novo Testamento (Mateus: 60-70 AD; Marcos: 50-60 AD; Lucas: 60 AD; João: 85-90 AD), mas os fatos registrados até os capítulos que descrevem a morte de Jesus Cristo, O Messias, ocorreram no tempo do Antigo Testamento.

Créditos:

Apostila Profecias Messiânicas – Missão Brasileira Messiânica (MBM) e Corrêa, D.G.;

Imagem: A Santa Ceia – Site Contando os Nossos Dias;

Texto Bíblico: Bíblia NVI

.

XIII

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*