O Eureka, a Coroa e o Evangelho Fake

Arquimedes foi um cientista grego que viveu por volta de 200 a.C., em Siracusa. Certa ocasião o rei da região resolveu fazer uma nova coroa e separou uma quantidade de ouro para isso.

Aprendi sobre essa história nas aulas de Ciências no livro do terceiro ano “primário”. Lembro que tinha uma história em quadrinhos (a meu ver, a melhor forma de fixar uma história na memória de uma criança). Nessa história, o rei, depois de receber a coroa, notou que ela tinha algumas imperfeições e ficou desconfiado. Chamou, então, a Arquimedes e deu-lhe a incumbência de descobrir se estava sendo roubado pelo ourives.

Era praxe que o ourives recebesse determinado peso de ouro e quando entregasse a encomenda esta deveria ser pesada junto com o ouro que sobrasse da tarefa e tinha que ter o mesmo peso do ouro entregue. Essa conferência já havia sido feita e o peso tinha sido o mesmo, o que dificultava a tarefa de Arquimedes. Ele ficou a “quebrar a cabeça” tentando achar uma solução. Se fosse hoje, ele poderia ter pedido a quebra do sigilo bancário, telefônico, as operações na Bolsa de Mercadorias, levantar os arquivos XML das operações de compra e venda feitas com o CPF do ourives, e usar de outros artifícios, legais, para saber se o ourives estava enriquecendo ilicitamente, mas as ferramentas disponíveis eram escassas e, sabemos, ferramentas e recursos escassos, forçam o homem a encontrar uma solução mais criativa. Ele não tinha ferramentas, mas tinha o cérebro.

Na história em quadrinhos do livro de Ciências, Arquimedes, de “cabeça quente”, sem saber o que fazer, resolveu ir com seu assistente, um rapazola menor e mais magro, a uma Casa de Banho, para ficar longe do problema e, quem sabe, resolvê-lo. Isso era comum naqueles tempos, e as casas de banho eram pontos de encontro para tratar de negócios e lugares onde se poderiam encontrar os amigos e bater papo. Chegando lá, estando as banheiras que eles usariam cheias até a borda, eles entraram. O assistente começou a rir quando percebeu que, quando Arquimedes entrou, houvera um grande deslocamento de água. Arquimedes, de “cabeça quente” perguntou o motivo do riso e o assistente contou. Aparece, então, na ilustração, aquela famosa lâmpada próxima à cabeça de quem teve uma grande ideia. Arquimedes sai correndo, nu, pelas ruas, gritando “Eureka” (que quer dizer “Achei”), para surpresa geral dos que viram a cena.

Recomposto, Arquimedes foi até o palácio e pediu que fossem separados quatro recipientes, dois maiores e dois menores, além da coroa e do mesmo peso em ouro que havia sido entregue ao ourives. Mandou colocar os dois recipientes menores dentro dos dois recipientes maiores, enchendo os menores com água até a borda, tomando todos os cuidados para que a água não transbordasse para os maiores. Em seguida, mandou mergulhar a coroa na água de um recipiente menor e o ouro no outro recipiente menor.

Constatado que a quantidade deslocada de água do recipiente onde estava a coroa havia sido maior, Arquimedes deu o diagnóstico ao rei, que chamou o ourives e lhe questionou sobre a “mistura” que ele fizera na confecção da coroa. Sem argumentos, e sem saída, o ourives confessou. Nos quadrinhos daquele livro de Ciências, ele foi condenado à morte, pela ofensa feita ao rei (por ter tentado enganá-lo e por ter feito com que a coroa real não fosse de ouro “puro”, mas de uma mistura impura). Em outras fontes de dados que busquei, a punição vai de perdão até execução, passando por prisão perpétua, “nas trevas exteriores”.

Lembrei disso hoje cedo quando estava orando e pensando sobre as misturas que hoje são feitas ao Evangelho, tornando-o um evangelho mequetrefe e pobre:

Gálatas 1

Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho;
O qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo.
Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.
Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema.
Porque, persuado eu agora a homens ou a Deus? ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo.
Mas faço-vos saber, irmãos, que o evangelho que por mim foi anunciado não é segundo os homens.
Porque não o recebi, nem aprendi de homem algum, mas pela revelação de Jesus Cristo.
Porque já ouvistes qual foi antigamente a minha conduta no judaísmo, como sobremaneira perseguia a igreja de Deus e a assolava.
E na minha nação excedia em judaísmo a muitos da minha idade, sendo extremamente zeloso das tradições de meus pais.
Mas, quando aprouve a Deus, que desde o ventre de minha mãe me separou, e me chamou pela sua graça,
Revelar seu Filho em mim, para que o pregasse entre os gentios, não consultei a carne nem o sangue,
Nem tornei a Jerusalém, a ter com os que já antes de mim eram apóstolos, mas parti para a Arábia, e voltei outra vez a Damasco.
Depois, passados três anos, fui a Jerusalém para ver a Pedro, e fiquei com ele quinze dias.
E não vi a nenhum outro dos apóstolos, senão a Tiago, irmão do Senhor.
Ora, acerca do que vos escrevo, eis que diante de Deus testifico que não minto.
Depois fui para as partes da Síria e da Cilícia.
E não era conhecido de vista das igrejas da Judéia, que estavam em Cristo;
Mas somente tinham ouvido dizer: Aquele que já nos perseguiu anuncia agora a fé que antes destruía.
E glorificavam a Deus a respeito de mim.

  • Evangelho + Filosofia = Evangelho Anátema (Coroa Impura);
  • Evangelho + Astrologia = Evangelho Anátema (Coroa Impura);
  • Evangelho + Numerologia = Evangelho Anátema (Coroa Impura);
  • Evangelho + Coaching = Evangelho Anátema (Coroa Impura);
  • Evangelho + Psicologia = Evangelho Anátema (Coroa Impura);
  • Evangelho + Ideologia = Evangelho Anátema (Coroa Impura);
  • Evangelho + Política = Evangelho Anátema (Coroa Impura);
  • Evangelho + Mindset = Evangelho Anátema (Coroa Impura);
  • Evangelho + Auto Ajuda = Evangelho Anátema (Coroa Impura);
  • Evangelho + Qq conhecimento humano = Evangelho Anátema (Coroa Impura);
  • Evangelho Puro de Jesus Cristo = Coroa Pura

O Evangelho de Jesus Cristo não precisa de muletas, de invenções humanas; não precisa de uma “ajudazinha”, de um fundo musical, quando está sendo pregado, para sensibilizar as pessoas. Não precisa de nada, além dele mesmo, para transformar a vida de quem por ele segue e dele aprende, porque o Evangelho é o poder de Deus.

Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego.

Romanos 1:16

Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria;
Mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos.
Mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, lhes pregamos a Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus.
Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens.

1 Coríntios 1:22-25

Qualquer coisa diferente disso que estiver sendo pregada por aí, é como a coroa do rei de Arquimedes, com metais menos nobres misturados; é um evangelho fake e, por isso, seja anátema.

Texto: Sergio de Souza

Imagem: pt.sodiummedia.com

Deixe um comentário


CAPTCHA Image
Play CAPTCHA Audio
Reload Image